quinta-feira, 3 de março de 2011

Atrações do Grito Rock Taguatinga: Yacoby (GO)

Diretamente de Céu Azul, entorno sul do Distrito Federal, o Yacoby diz representar o som cru da periferia e promete trazer um protesto pesado sobre desigualdade e injustiça. Remanescentes do new metal que preenchia os shows undergrounds de Brasília há um tempo atrás, a banda lançou seu primeiro àlbum no ano passado e tem ganhado espaço em festivais e eventos diversos da capital. Confira a entrevista cedida pelo vocalista Rick:

Yacoby - "Muitos que tem pouco, poucos que tem demais" (2010)

Conte-nos sobre a banda e suas influências.

Bom, somos uma banda de New Metal/ Rap core do entorno sul do DF que fala sobre o que a maioria dos brasileiros gostaria de falar para as autoridades do nosso país e do mundo. Mas, não é só um protesto sem causa, Yacoby, é uma centelha a fim de incendiar a moral, ética, fraternidade e o amor entre os homens em seu convívio social, para que todos possam viver dignamente e igualitariamente.

A banda tem suas maiores influências no New Metal, Rap core e Metal Core. A maior parte são bandas que marcaram nossa adolecencia que marcam nosso son com: Deftones, Korn, Rage Agaist the Machine e Limp Bizkit. Mas como toda banda, cada um tem influências individuais. Eu Rick, por exemplo, tenho muita influencia no New, Metal e Rap como: Ill nino, Demon Hunter, Slipknot, CypressHill, Racionais Mcs e por ai vai...

O Yacoby é de Valparaíso. Como isso interfere no trabalho de vocês? A banda seria a mesma se tivesse surgido em outro lugar?

Muitos não sabem mais, o nome Yacoby foi propositalmente extraindo do tupi-guarani, língua primitiva brasileira e significa CÉU AZUL, daí a ligação entre o nome e a banda, que foi formada no bairro Céu Azul bairro do Valparaíso periferia de Goiás entorno de Brasília. Esse nome tem um significado cabal, pois de lá tiramos nossa inspiração para nosso protesto, lá presenciamos muita desigualdade e injustiça, vivemos na pele muitas experiências que aumenta nossa indignação. Com certeza as composições seriam diferentes se não fôssemos da periferia.

A música "Prato cheio" conta com participação da Luara do 10zer04. Qual a relação do Yacoby com o 10zer04?

A banda 10zer04 sempre foi influência musical e ideológica para a banda. Já havíamos nos encontrado em alguns eventos e sempre falamos a mesma língua. Aumentamos o contato mais por conta da música mesmo, falamos com a Luara e com os meninos e eles se amarraram. Então fizemos esse trampo que foi perfeito para nós e para o nosso cd. Eles sempre deram força para isso acontecer e hoje somos estamos mais ainda colados. Recentemente nosso novo baixista já trabalhou com eles e foi massa saber que estamos ligados de alguma forma.

Yacoby, divulgação.

O Yacoby é uma das poucas remanescentes do som new metal que dominou o independente no Distrito Federal alguns anos atrás. Atualmente é difícil se inserir nos espaços e eventos musicais do DF?
Hoje em dia vemos que o que domina o DF e entorno é o metal, hc e alternativo mais de boa, como só fazemos o que realmente gostamos o estilo da banda nunca mudou, mais foi sofrendo algumas influencia novas como Metal HC. Acho que por isso temos mais espaços em eventos desse estilo. Mais realmente sentimos um pouco de dificuldades em muitas regiões especifica como o Plano Piloto, pois o público e a cena é mais indie e pop.

Mas como disse gostamos muito de new metal e percebemos que ainda tem muitas pessoas que curtem nosso som, e para nós é legal tocar num evento e não ter mais ninguém fazendo o que agente faz, tocando as mesmas coisas que agente toca.

Recentemente vocês pilharam o surgimento do Coletivo Lobeira, do entorno sul do Distrito Federal. Conte-nos um pouco mais desse trabalho.
Como sempre quisemos ajudar a cena do lugar onde moramos, já fazíamos shows independentes há tempos atrás, mais sempre de forma individual. Então começamos a perceber o surgimento de muitos coletivos no DF e que os eventos deles sempre eram bem organizados. Foi quando o Lamin que era do Esquina e o Everaldo do Cultcha me procuraram e pilharam na criação de um coletivo lá no entorno. Eu achei a idéia perfeita, pois a cena estava meio congelada por lá, procurei uma galera que já trampava com isso e juntei os caras.

Deu muito certo, pois hoje já temos mais ou menos 10 bandas envolvidas, e muitas outras querendo ajudar. Já fizemos nosso show de inauguração, estamos trabalhando nos próximos e em outras parcerias que estão surgindo no DF. Quem quiser saber mais acesse o site do coletivo Lobeira: www.coletivolobeira.org


Para ouvir: www.mypace.com/bandayacoby
Baixe o disco da banda AQUI.

Atrações do Grito Rock Taguatinga: Mugo (GO)

Mugo ao vivo no festival Bananada 2009 (Goiânia)

Com influências de Pantera e Lamb of God, o Mugo vem de Goiânia para reforçar o peso do segundo dia do Grito Rock Taguatinga. O grupo já se apresentou ao lado de bandas como Helmet (USA), Exploited (UK) e já apareceram por aqui algumas vezes, como no Porão do Rock 2009.

Confira a entrevista e baixe o disco "Go to the next floor" no final da página:

A banda mudou um pouco o som desde os antigos EPs até o trabalho atual, que achei mais pesado. Quais as influências musicais do Mugo? Qual o público que vocês pretendem atingir?

A mudança do som veio pela evolução e mudança na formação da banda, que agora tem uma proposta bem mais pesada e direta. Nossas influência vão desde os sons mais "Old School" como Slayer, Pantera, Black Sabbath, até bandas mais atuais como Lamb of God, Parkway Drive, Job For a Cowboy, e pretendemos agradar a todo mundo que gosta de música boa, com foco no publico de som pesado, sem fronteiras.

Goiânia é mais conhecida por suas bandas de stoner e garage rock. O Mugo é bem aceito? Como é o público e cenário da música pesada na cidade?

O legal em Goiânia é que existe uma variedade grande tanto quanto de bandas como de público. Em diferentes momentos vemos destaque em certos movimentos musicais não só lá como em vários lugares do mundo. O Mugo é muito bem aceito na cidade e consegue dialogar com as mais diferentes vertentes musicais e artísticas. Temos um público forte que gosta de som mais pesado, mas o público da cidade é aberto aos mais variados estilos musicais. Muito antes do Mugo surgir já havia um grande movimento de bandas e público ligado aos estilos musicais mais pesados, como o metal, hard core, e até mesmo punk rock. Goiânia tem um público de som pesado bem fiel, o que favorece também ao Mugo.

Mugo. Promo 2011

As letras em inglês e a sonoridade culminam em uma boa apresentação do Mugo no exterior. Essa é uma das metas da banda?


A banda se coloca como uma experiência que busca ser apreciada sem preconceitos ou sem restrições territoriais. As letras são feitas em inglês por acharmos que traz uma melhor sonoridade para nossa música, mas com certeza reflete bem fora do Brasil pois o inglês é uma língua falada e compreendida na maior parte do mundo. O objetivo maior da banda é fazer música de qualidade para pessoas interessadas em interagir com isto, e fora do Brasil existe um público enorme que gosta muito deste estilo musical mais pesado. São grandes festivais e eventos que acontecem fora do Brasil e com certeza temos muito interesse em participar e interagir com este público, visando nosso crescimento como músicos e como grupo artístico.

Aqui vocês já tocaram na abertura do Matanza e numa das edições mais lotadas do Porão do Rock. Qual a expectativa de voltar para o DF? O que o público pode esperar do show do Mugo nesse sábado?

Nossas experiências em Brasília foram muito boas e o público do DF é muito ativo. A abertura do show do Matanza em um local de menor porte mas com um público bem ligado no som foi muito positiva. A participação no Porão do Rock de 2009 foi inesquecível, um público enorme e com vontade de curtir muita música boa e de qualidade, foi uma coisa única. A expectativa agora é reencontrar essa galera toda aí disposta a curtir e se divertir ouvindo um som, vendo a banda e interagindo da melhor maneira possível. Estamos agora com novas músicas que serão gravadas no nosso próximo disco e que nunca foram tocadas ainda no Distrito Federal, com mais influências de hardcore e crossover. A galera pode esperar um barulho muito alto e pesado.

Mugo - Go to the next floor (2009)

Para ouvir: www.myspace.com/mugobr
Baixe o album "Go to the Next Floor" AQUI.