sexta-feira, 26 de março de 2010

Feliz aniversário, Manfredini



Por Davi Kaus

Letras, letras, letras... L-E-T-R-A-S. Paixão, sinceridade, sentimentos descritos, tais quais saindo da boca de Sócrates ou de um mendigo da sarjeta.
O Renato (falando assim até parece o conheci. De repente sim...) seguiu a odisséia romântica dos poetas malditos: doença, amores confusos, vícios, tentativa de recuperar a sanidade perdida pelo excesso (ou a vontade) de intimidade com o espelho. Mas, com certeza, ele também ria de piadas idiotas, pensava nas contas pra pagar e, à noite, antes de dormir, imaginava pra onde sua vida estava indo, peidava fedido, essas coisas...
Ele faria 50 anos hoje. Imagino como seria se ele ainda estivesse vivo: mais pra Lobão ou mais pra Dinho Ouro Preto? Essa pergunta idiota, deixem pra lá...
O importante é que o Renato é um artista que conseguiu popularizar a profundidade de emoções sem soar arrogante ou pedante. Ele é intelectual e acessível. E as letras são só uma parte dos seus méritos: o timbre de sua voz, seu alcance vocal (vide Vento no Litoral); músicas sem refrão, mas com construções interessantíssimas (qual o refrão de Há Tempos?; Faroeste Caboclo foi sucesso radiofônico. Que tal?...).
Muitos criticam as composições do Renato (e da Legião como um todo) argumentando que são simplistas musicalmente. Aí eu fico com uma frase bem legal que diz que não se pode confundir simplicidade com futilidade, nem complexidade com dificuldade. Pensem em John Merrick com uma flor na mão.
O Renato é o exemplo de como as coisas devem ser viscerais em todos os aspectos, mais ainda na música. Ele não foi poser. O intuito não era vestir um visual, subir no palco, fazer o show, ter a sensação sacana de ter enganado o público perfeitamente e ir pra casa com a grana no bolso e a venda nos olhos. Era falar sobre coisas normais que todos vivem, mas sob um aspecto que desvenda algo, tal qual um poço cheio de significados que amplificam a vida. Sem precisar ser formado em Filosofia pra isso.

Feliz aniversário, Manfredini...

quarta-feira, 24 de março de 2010

1º NOITE FORA DO EIXO TAGUATINGA


Nesse sábado, a partir das 21h, vai tá rolando, no Água de Beber, a 1ª Noite Fora do Eixo em Taguatinga promovida pelo Coletivo Cultcha. Vão rolar os shows das bandas Vitalógica, Terno Elétrico e Besouro do Rabo Branco. Também será exibido o documentário "Rock Ceilândia: Periférico e Coletivo", dirigido pelo Cineasta Gil Macedo.

Abaixo, um "Raio X" das bandas que vão tocar na noite. Ressaltando que o Bar Água de Beber fica na QS 3, Lote 15, Pistão Sul, em frente ao Carrefour de Taguatinga Sul.

VITALÓGICA


Lógica da vida traduz o nome Vitalógica. Agora, explicar que lógica representa com contundência os elementos relevantes nas experiências cotidianas e que abrange várias questões filosóficas e enigmáticas não é tarefa simples. A banda apresenta sonoridade com forte personalidade influenciada pelo melhor do Pop Rock Nacional 80. Com certo reconhecimento na cena independente do DF, principalmente em Ceilândia, que é a cidade natal da banda, já participaram de eventos e festivais de relevância, como novas bandas do DFTV, Ferrok, Rock da Base (Correios), Moto Capital, Rock Solidariedade, Festival Rock na Veia 1ª edição, entre outros, além dos eventos e projetos realizados pelo próprio Vitalógica.

www.myspace.com/bandavitalogica

BESOURO DO RABO BRANCO


A Besouro do Rabo Branco está em atividade desde 2003 com uma proposta de música esquisita, agradável e agressiva. O repertório, composto a partir da indispensável participação de cada um dos seus quatro integrantes - Matheus Ribeiro (guitarra), Rogério Fonte Boa (bateria), Moisés Pacífico (baixo) e Gabriel Costa (voz) - dialoga sempre com outras áreas do conhecimento humano - Filosofia, Literatura, Matemática, Magia, Física e Religião - numa mistura dinâmica que produz um efeito de sentido que conduz à estranheza, ao conforto, ao medo e à reflexão, instigando o público através de sua estética artística. Em 2006 a banda faz shows importantes, sendo convidada para abrir o show do cantor e compositor Ventania, e participa o lançamento do terceiro CD do grupo Cordel do Fogo Encantado em Brasília-DF. O disco de estréia do Besouro do Rabo Branco foi lançado no segundo semestre de 2009, iniciando, assim, uma série de shows de divulgação do seu primeiro trabalho.

www.myspace.com/besourodorabobranco

TERNO ELÉTRICO


O Terno Elétrico vem destilando seu Rock and Roll com influências de Mutantes e Led Zeppelin desde 1992, se tornando um verdadeiro patrimônio da cena rockeira Candanga. A banda é formada por Célio de Moraes (baixo), João Frajola (voz), Jef Sena (guitarra), Wendel Rocha (guitarra), Dei Vieira (orgão) e Janarí Coelho (bateria). A discografia da banda conta com os Ep's: De Terno no Inferno (1995), Simbiose (2000), Tá Ligado? (2001) e um álbum cheio intitulado apenas de Terno Elétrico (2009).

www.myspace.com/ternoeletrico


terça-feira, 23 de março de 2010

PERIFÉRICO E COLETIVO - ROCK FORA DO EIXÃO

"Darei prioridade para a periferia, porque para burguesia a Globo já faz" - Gil Macedo


Michel Aleixo


Mesmo sendo uma associação de músicos, o Coletivo Cultcha tem como princípio regente, a vontade de apoiar todo tipo de arte underground. No próximo sábado, dia 27, o Cultcha promove sua primeira Noite Fora do Eixo, evento padrão de todo coletivo associado ao circuito. Nesta edição de abertura, o Cultcha chamou três bandas da Ceilândia que estão lutando no fronte do rock independente há um bom tempo, bem antes da existência do conceito de coletivo musical que se tem hoje.

Convidamos também o cineasta e músico Gil Macedo, para exibir seu documentário Rock Ceilândia – Periférico e Coletivo, que participou da Mostra Brasília Digital do 42º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro. O filme trata da cultura musical, em especial o movimento rock existente na Ceilândia, cidade que há muito, aglomera uma grande quantidade de bandas. Através de depoimentos de alguns produtores de festivais – como o Ferrock, na ativa há mais de vinte anos –, exibição de fotos de grupos da cidade em suas mais variadas vertentes e entrevistas com alguns nomes representativos do cenário atual, Rock Ceilândia – Periférico e Coletivo é um belo esforço de produção nos moldes “faça você mesmo”, um braço extra para sustentar o pilar do rock feito por gente que prova que “Rock Brasília”, é um conceito muito mais abrangente do que alguns marqueteiros costumam proclamar. A seguir uma entrevista com o realizador.



Cultcha: Gil de onde veio a ideia para fazer o documentário?

Gil Macedo: Sou músico e morador da Ceilândia, aqui não temos espaços suficientes para as bandas tocarem e mostrarem seu trabalho. Sempre achei que, pelo fato da Ceilândia ser periferia, as outras pessoas desprezam as bandas daqui porque acham que na cidade só tem rap. Então tive a ideia de mostrar as bandas de rock, produtores de shows, produtores musicais e falar um pouco sobre a história da cidade, como mostra o começo do filme. Simplesmente foi uma tentativa de divulgar as bandas porque tem gente aqui que faz rock de qualidade há um bom tempo.

- E a parceria com o Cultcha? É uma boa exibir filme num show de rock?

- Acho maravilhoso mostrar a cultura em geral. Teatro, poesia, sarau, cinema, tudo é lucro, hoje temos artistas bons de todas essas áreas. Por exemplo, eu tocava em bandas, mas agora faço cinema, uma coisa puxa a outra. É legal o coletivo ser eclético culturalmente.

- Você tem pretensões em continuar documentarista? O que você acha mais difícil realizar, música ou cinema?

- Sinceramente, música pra mim é mais difícil, porque mexe com o ego dos músicos, que são pessoas meio ególatras. Nem sempre todos estão na mesma sintonia ou querem o mesmo objetivo com uma banda. No cinema, faço o que quero, porque sou o diretor e escolho o trabalho que vou fazer. Também tenho mais tempo para produzir um filme, enquanto que na música, há um certo tipo de pressão. Quero continuar sim, estou apaixonado por essa área justamente porque dei uma frustrada na minha vida musical.

- E quais são seus projetos futuros nesse meio?

- Produzir curtas, longas, participar de todos os festivais pelo Brasil, inclusive todas as edições do Festival de Brasília do Cinema Brasileiro daqui pra frente [risos]. No momento, estou produzindo um documentário sobre a Feira do Rolo aqui na Ceilândia. Darei prioridade para a periferia, porque para burguesia, a Globo já faz.


1ª Noite Fora do Eixo Coletivo Cultcha

Com as bandas:
Vitalógica
Besouro do Rabo Branco
Terno Elétrico

E a exibição do documentário:
“Rock Ceilândia – Periférico e Coletivo” de Gil Macedo


Sábado, 27 de março às 21h.
Entrada R$ 5,00. (Dose dupla de caipirinha por R$ 4,00 até meia-noite).
No Bar Água de Beber (QS 3, Lote 15, Pistão Sul, em frente ao Carrefour de Taguatinga Sul).

Realização:
Coletivo Cultcha (www.coletivocultcha.blogspot.com)

Apoio:
Roche Motores
Circuito Fora do Eixo

Informações: coletivocultcha@gmail.com 8405-2190 ou 8530-2833


segunda-feira, 22 de março de 2010

Lançamento do COLETIVO INSÔNIA


Dia 28 de março (domingo), a partir das 17h, vai rolar o Lançamento do mais novo Coletivo do Distrito Federal: o COLETIVO INSÔNIA! A festa vai ser no Bar da Toinha, na QR 208 - atrás do Supermercado Caíque -, em Samambaia Norte. A ENTRADA é FRANCA!

Compareça!

Conheça as bandas que participarão da festa do Coletivo Insônia:
BIÔNICOS: http://www.myspace.com/bionicos
FIRMINO
DESVIO TEMPORÁRIO: http://www.myspace.com/desviotemporario

Conheça o INSÔNIA: http://www.coletivoinsonia.blogspot.com/

sábado, 20 de março de 2010

CONEXÃO VIVO lança edital para bandas

A empresa de telefonia celular VIVO já descobriu as benesses de se investir em cultura. O site Conexão Vivo está aí para quem se interessar.
Lá, além de matérias sobre o assunto, o internauta também vai encontrar um link para o edital que dispõe sobre a inscrição de artistas de todo o país para participar de uma seleção que escolherá 50 deles para um circuito de shows, seminários e oficinas que irá percorrer 11 cidades de Minas Gerais, Bahia e Pará ainda no primeiro semestre de 2010. Ainda de acordo com os organizadores, podem participar músicos com carreira solo, bandas e DJs. Além de participar da programação do Conexão Vivo, os selecionados farão parte de uma coletânea virtual e 12 artistas participarão de um LP e ganharão um videoclipe de animação para uma de suas músicas.
Então vá lá, confira o site e o edital e inscreva a sua banda! As inscrições podem ser feitas até o dia 22 de março. A votação popular, que escolherá 4 artistas (os outros 46 serão escolhidos por uma curadoria especializada), acontecerá entre os dias 23 e 30 de março. E o resultado final sai no dia 5 de abril de 2010.

"O Conexão Vivo permite a colaboração entre artistas, produtores, jornalistas, gestores, público, pensadores e investidores culturais. O edital 2010 dá a oportunidade para que um novo time de artistas se relacione com essa rede e potencialize suas carreiras."

Fonte: Lumo Coletivo

sexta-feira, 19 de março de 2010

FLYER DA 1ª NOITE FORA DO EIXO COLETIVO CULTCHA


ENTREVISTA COM O COLETIVO INSÔNIA

Banda Firmino

A Cultcha Milla de Paula bateu um papo com o Gilson, membro do mais novo coletivo de bandas de Brasília. Conheça mais do Insônia:

Cultcha: Apresente o Coletivo Insônia.

Gilson: O Insônia nasceu em Samambaia para lutarmos pela cena daqui, era praticamente obrigatório que a gente montasse algo ligado ao rock and roll. Então, após uma boa conversa nós resolvemos trabalhar sério na idéia e com os apoios que estamos recebendo nesse começo de atividade tudo está como planejado. Graças também ao nosso empenho e dedicação ao projeto. Fazem parte do coletivo as bandas Biônicos, Firmino e a Los Quebraditos, além do estúdio New Photo e um grupo de dança.

- De onde surgiu a ideia de montar o Coletivo e por que vocês sentiram necessidade de o fazer?

- Nós estávamos vendo como o trabalho em equipe dos coletivos Esquina e o Cultcha estava sendo legal, e começamos a pensar sobre isso. Mas o que nos motivou mais ainda foi a palestra do Alê Barreto na semana que antecedeu o Grito Rock. As frases que o Alê expressava pareciam uma indireta pra nós, soava mais ou menos assim: “ Façam a parada acontecer seus suburbanos”, hehe. E foi foda, abraçamos a ideia e estamos trabalhando firme mesmo.

Samambaia necessitava urgentemente de algo permanente por aqui. Na cidade não tem um lugar fixo pra galera curtir e tomar uma gelada, e o nosso objetivo é fechar parceria para abrir a cabeça dessas pessoas, mostrando que a cidade não está morta, apenas paralisada. Com trabalho e dedicação isso vai mudar, vamos fazer valer nosso trabalho e a galera vai abraçar a causa.



Banda Biônicos

- Quais as propostas, os objetivos do Coletivo Insônia?

- Primeiramente estamos fechando parcerias com bares da cidade, pois queremos ver as casas crescendo junto com o nosso trabalho. Outro fator importante, nós queremos ver a galera montando novas bandas, porque um dos motivos de existir poucas bandas em Samambaia é o fato de não ter locais para se apresentar. Isso desanima mesmo, mas pretendemos mudar isso. Finalizando, queremos que a galera aprenda a participar e ajudar os eventos da própria cidade, muitas vezes a galera vai curtir em um evento fora daqui por não ter opção, então vamos trabalhar forte para acabar com esse problema e valorizar a cena da cidade.

- E por agora, quais são os planos? Como andam os planos do Insônia? O que vem por aí?

- Até o momento tudo está saindo como planejado, muitas pessoas ajudando. Já temos apoios fundamentais para execução dos projetos, isso foi uma conquista rápida e que nos motivou muito. Essa semana a gente pensou em muita coisa boa, e depois de colocar no papel e correr atrás, as respostas foram positivas, ou seja, já temos data marcada para o lançamento oficial do Coletivo, que vai ser no dia 28 de Março, no Bar da Toinha (Rock and Roll Bar) em Samambaia Norte. A parceria foi firmada, lá é onde vamos realizar os eventos mensais do Coletivo.

- Por último, o que a comunidade (do rock e de Samambaia como um todo) deve esperar do grupo?

- Podemos afirmar que já estamos buscando melhorias para a cena da cidade. Pensamos em muita coisa boa para execução dos projetos. Então com certeza a galera vai sentir a cidade sendo transformada, mas as pessoas devem estar participando ativamente dos eventos para sentir a transformação. Temos convicção que até nós vamos nos surpreender com o retorno positivo que isso vai causar na cena de Samambaia, abrindo os olhos da galera. Então é isso, vamos dar duro no trabalho, mas as pessoas devem estar ajudando também porque assim, a parada vai render mais rápida.



Os caras já estão com blog no ar COLETIVO INSÔNIA clica aí para saber mais.

2ª NOITE FORA DO EIXO - COLETIVO ESQUINA




Hoje, no VELVET PUB (102 norte), a partir das 21:00, tem NOITES FORA DO EIXO, organizada pelo COLETIVO ESQUINA.

Uma das atrações musicais é a banda ACIDOGROOVE, de Minas Gerais. A banda, formada por quatro mineirinhos de Uberaba, vem à Brasília pela primeira vez e vai divulgar um single com duas músicas do disco de estreia (já gravado, aguardando a masterização para ser lançado) - Júlia em firmamento e Lampejo. E, apesar do que sugere o nome, suas influências não estão no funk ou nas músicas mais ácidas. De acordo com Fred Pinheiro (guitarrista e vocalista da banda), em entrevista ao Correio Braziliense, as influências da banda vão de Kinks a Queens of the Stone Age, de Hendrix a Beatles, de Mutantes a Beach Boys, além do nosso Los Hermanos.

Completando a Noite do Esquina, tem a banda JANEIRO, daqui do Distrito Federal, e os DJs Joca e Pedrenrique (do Cassino Supernova), Tweedledee & Tweedledum. A entrada custa R$ 10. Não recomendado para menores de 18 anos.

segunda-feira, 15 de março de 2010

MAIS DOIS NOVOS COLETIVOS NO DF!

A atividade semeadora do Fora do Eixo de incentivar coletivos a plantar e colher cenas musicais, está se espalhando cada vez mais.

Fruto deste processo, dois novos coletivos surgem no DF inspirados na missão de fomentar a cultura local. São eles o Coletivo Escape, de Brasília, formado pelas bandas Lost in Hate, Galinha Preta e Ilustra; e o Coletivo Insônia, das bandas Biônicos, Firmino e Los Quebraditos.

O Coletivo Cultcha saúda os novos parceiros.

Leia a matéria inteira no blog do Coletivo Esquina, AQUI!

terça-feira, 9 de março de 2010

FOTOS DO GRITO ROCK TAGUATINGA NO AR!

Estão no ar as fotos do Coletivo Cultcha festejando seu Grito Rock primogênito! A edição do maior festival integrado de rock independente das Américas foi celebrada com muita alegria e em clima de carnaval. Não só pela data próxima à festa (12 e 13 de fevereiro), mas pela notícia de Arruda ter inaugurado o primeiro título de governador preso por corrupção no Brasil:
http://www.orkut.com.br/Main#Profile?uid=427202438550362640