segunda-feira, 7 de setembro de 2009

SHOW COLETIVO CULTCHA

É isso aê pessoal, no próximo sábado, dia 12/09, acontecerá mais um evento do Coletivo Cultcha, no Botiquim Blues, Praça do DI, em Taguatinga, a partir das 22 horas, com entrada a R$ 5,00. Dessa vez as bandas escaladas foram o Vitrine, Satanique Samba Trio e Cassino Supernova. Além de som mecânico com Lihtning Ana e Thunder Joe. Abaixo release das bandas com uma pequena entrevista feita com elas. Estejam todos convidados a comparecer. Esporte é droga, pratique guitarra!

VITRINE

O Vitrine nasceu em Brasília e tem a formação atual desde 2006. A proposta autoral da banda consiste em explorar influências do Pós-punk, Rock Brasília dos anos 80 e as novas influências do Rock inglês dos anos 2000. A banda conta com Mark Santana no contrabaixo, Israel Veloso nos vocais e guitarra, Davi Kaus na guitarra solo e Anderson Gomes na bateria. Atualmente a banda se encontra em processo de produção do seu primeiro disco no estúdio Daybreak, em Brasília, com produção de Philippe Seabra (Plebe Rude).

http://www.myspace.com/vitrinebrasilia

Entrevista:

CC: O que vocês acham de iniciativas como a do Coletivo Cultcha, que propõem a movimentação da cena independente local através da cooperação entre os artistas da cidade?

V: Hoje em dia é fundamental que as pessoas se juntem para fazer surgir oportunidades, já que ficar esperando iniciativas do governo ou de quem diz fazer cultura no DF está fora de questão. Os nichos culturais alternativos pelo país estão cada vez mais organizados, e isso ocorrerá aqui, com certeza.

CC: Quais são as maiores dificuldades que vocês enfrentam na cena independente local?

V: Se falarmos que a falta de espaço é uma delas estaremos mentindo. O DF tem inúmeros lugares, espaços para tocar. O problema principal é a velha panela. São poucas pessoas que se acham no direito de decidir o que é legal ou não de ser apresentado. Falta profissionalismo, inclusive de nós, músicos da cidade.

CC: O que as pessoas podem esperar da apresentação de vocês, no dia 12/09 pelo 1º Circuito Cultcha?

V: O Vitrine está com repertório renovado e prestes a entrar em estúdio. Podemos esperar a energia de sempre, agora com mais vontade de mostrar as coisas novas que farão parte do primeiro disco.

SATANIQUE SAMBA TRIO

Definir uma banda como Satanique Samba Trio é extremamente dificil. Será Jazz? Será samba? Ou simplesmente boa música que não cabe a rótulos pela inventividade com que os integrantes executam cada pertado "da má sorte"? Rótulos ou definições a parte, a banda oriunda de Brasília conta com músicos já experientes e tem na sua história vários shows ao redor do Brasil, incluindo festivais importantes da música indepedente nacional.

http://www.myspace.com/sataniquesambatrio

Entrevista:

CC: O que vocês acham de iniciativas como a do Coletivo Cultcha, que propõem a movimentação da cena independente local através da cooperação entre os artistas da cidade?

SST: Se tem algo de que o DF precisa é de PRODUÇÃO ARTÍSTICA. Só temos a agradecer a
iniciativa do Cultcha...

CC: Quais são as maiores dificuldades que vocês enfrentam na cena independente local?

SST: Não acredito que haja uma cena independente local.

CC: O que as pessoas podem esperar da apresentação de vocês, no dia12/09 pelo 1º Circuito Cultcha?

SST: Um show curto e grosso. Como estas respostas, inclusive...

CASSINO SUPERNOVA



Com influência do Rock n' Roll dos anos 50, 60 e 70, o Cassino Supernova não deixa de soar atual. A banda foi formada em Brasília no começo de 2009 e se destaca por suas apresentações enérgicas, também pelo carisma e versos que “não se contentam com os clichês do gênero”, segundo definiu o jornal Correio Braziliense. O Cassino Supernova já dividiu eventos com nomes importantes do rock nacional, como Raimundo(DF), Autoramas (RJ) e Facas Voadoras (MS), além de participar do circuito Fora do Eixo como "banda revelação de Brasília”. A banda é formada por Gustavo Halfeld (Guitarra); Raphael Valadares (Guitarra); Gabriel Rodrigues (Bateria); João Victor (Vocal); Pedro Henrique(Baixo).

http://www.myspace.com/cassinosupernova

Entrevista:

CC: O que vocês acham de iniciativas como a do Coletivo Cultcha, que propõem a movimentação da cena independente local através da cooperação entre os artistas da cidade?

CS: Achamos que o envolvimento dos artistas com o cenário é fundamental para que as coisas voltem a andar. Passamos por momentos de baixa na música de Brasília, com poucos eventos sendo produzidos e bandas tendo dificuldade pra mostrar seu trabalho. Acreditamos que os grupos têm que dar exemplo para o público, no sentido de prestigiar a cena, ir contra preconceitos de estilos, ajudar na produção e divulgação dos eventos, incentivar os amigos a participarem, e principalmente, dar tudo de si no palco. Iniciativas como a do Coletivo Cultcha são louváveis e muito importantes para o cenário voltar a pegar fogo!

CC: Quais são as maiores dificuldades que vocês enfrentam na cena independente local?

CS: Principalmente a falta de união das bandas e estilos diferentes, e o público, que não prestigia tanto a cena autoral. Mas somos otimistas: temos tido contato com muitas bandas boas, e principalmente visto gente bem intencionada e com ótimas iniciativas, como o próprio Coletivo Cultcha e algumas produtoras, como a Bloco e a Mundano, que sempre abrem espaço para bandas menos conhecidas e são realmente compromissadas com o cenário. Acreditamos que com bandas boas tocando e o pessoal fazendo eventos legais, a participação do público só tende a aumentar.

CC: O que as pessoas podem esperar da apresentação de vocês, no dia 12/09 pelo 1º Circuito Cultcha?

CS: Rock´n Roll, baby! Hehe, vamos fazer de tudo pra que o evento seja foda e pra ver todo mundo dançando o velho rock enquanto tocamos!

Nenhum comentário:

Postar um comentário