domingo, 5 de julho de 2009

DIÁRIO DE GRAVAÇÃO COLETÂNEA CULTCHA - PARTE II

Por Diego Valdez

Como prometido começo aqui a escrever como foi o segundo dia de gravação da Coletânea Coletivo Cultcha. Esse segundo dia seria dedicado especialmente para as gravações do vocal, porém tanto o Vitrine quanto o Lacuna ainda teriam que gravar as partes instrumentais das suas músicas.
Para falar a verdade nem lembro o que fiz nessa amanhã antes de ir para o estudio, provavelmente alguma coisa corriqueira dentro de casa, mas enfim o horário marcado para inicio da gravação eram as 14 horas. Cheguei no estúdio com uns 20 minutos de antecedência. Comigo estavam o Rogério (um dos membros organizadores do Coletivo Cultcha) e o Ennio. Logo em seguida chegaram o pessoal do Vitrine. Nesse meio tempo até o Edmilton chegar para abrir o estúdio ficamos conversando sobre o coletivo e fazendo piadas sobre qualquer coisa. Às 14 horas em ponto o Edmilton chegou e deram-se inicios aos trabalhos.
A primeira banda a gravar foi o Vitrine com a música Snooker Nine, de refrão marcante que remete ao rock nacional oitentista mas com nítidas influências de sons alternativos como Sonic Youth. Logo em seguida foi a vez do Lacuna mandar Black Dolls Take The Honnors. Diferentemente do dia anterior, eles se apresentaram de forma mais segura e conseguiram fazer um ótimo registro.
Bom gravado os intrumentais foi a vez de todos gravarem os seus respectivos vocais. Como tem um certo tempo em que rolou a gravação e na verdade eu escrevo essa segunda parte atrasado, talvez eu me confunda com a ordem correta em que foram gravadas os vocais, mas eu acho que o primeiro a registrar a voz foi o Ennio nas músicas do River Phoenix e do Deluxe Jazz Fuckers.
Em seguida foi a vez do Davi, com a música Baby Come Home do Leda. Amigos, não tenho palavras de como essa música depois de registrada o vocal ficou especial. As linhas vocais do Davi realmente emocionam, enfim, pessoalmente é a minha música predileta de todo cd! Após o Davi foi a vez do Alexandre gravar os vocais da música do Lacuna. A voz do Alexandre foi realmente uma surpresa para mim, pois eu não tinha reparado antes como era o vocal dele. Ele realmente detonou no vocal.
Por último ficaram Israel e eu, respectivamente Vitrine e Valdez. O Israel foi primeiro e gravou com certa facilidade e velocidade o vocal de Snooker Nine. Enquanto ele gravava eu confesso que estava um pouco tenso pois sempre fui complexado com a minha voz e sentia certa responsabilidade, ainda mais quando todo mundo tinha detonado nos vocais de suas respectivas músicas. Coincidentemente, no momento em que o Israel gravava o vocal, o Maurício (Leda), entrou com uma garrafinha de Domus. Bendito Domus! depois de uns goles criei a coragem necessária e acreditem ou não, deu até uma "calibrada" na minha voz!
Acabei gravando sem problemas e até satisfeito com o resultado final. Encerradas as gravações a mixagem e a masterização ficariam para outro dia, mas o meu relato encerra-se aqui mesmo. O saldo de tudo isso foi que eu me diverti bastante de estar junto dos amigos fazendo uma coisa no qual todos somos apaixonados: Rock. E no final de tudo sair com aquele sentimento de dever cumprido!




Até a próxima!









Nenhum comentário:

Postar um comentário